"A Solitary Man"

Oh. My God. (Voz da Janice de Friends mode on)


Em Criminal Minds, segue-se à risca a "regra" de que, antes de um episódio espetacular, vem um ruinzinho. O episódio passado foi relativamente bom (se você assistir série com o botão "Sessão da Tarde ligado), mas esse foi uma coisa tão 3ª temporada que minimiza a existência dos últimos episódios a quase nada.

E é claro que um episódio com drama envolvendo criança tem Emily Prentiss como personagem-central. Ultimamente, JJ é quem vem fazendo isso - sem êxito algum - e Prentiss funciona somente quando bate em algum unsub cretine ou sofre atentados como ser esmagada pela caminhonete de um psicopata e sair inteirinha, a la Lilly Rush. Finalmente, a mesa virou e as coisas voltaram à ordem natural; JJ voltou a ser uma mala sem rodinha useless e Prentiss, a melhor coisa da equipe - já que Matthew Gray Gubler, o intérprete do Reid, lançou seu personagem para o fundo do baú depois de estourar seu joelho dançando. Êêêêê Macarena, né. ¬¬'

Novamente, a questão das participações especiais na série foi abordada magistralmente. Não é a toa que papéis de unsubs e vítimas na série são disputados quase a tapa. Gabrielle Carteris, a Andrea Zuckerman de "Barrados No Baile" (Beverly Hills 90210) não fizera nenhum papel de relevância desde 1996. Outros ex-famosos, como Luke Perry (também de "Barrados...", o Dylan), e James Van Der Beek ("Dawson's Creek"), tiveram uma leve saída do ostracismo após interpretarem, respectivamente, Benjamin Cyrus, um líder religioso, polígamo, pedófilo e espancador de uma comunidade do interior; e Tobias Hankel, um técnico de informática viciado em medicamentos com múltipla personalidade que acreditava ser o próprio pai e o arcanjo Rafael.Ou seja, é quase como se a série fosse uma enorme máquina de reciclagem de atores falidos.

Eu descreveria este episódio com uma mistura inteligente e eficiente de "52 PickUp" (4x09) e "Children of the Dark" (3x04), com um quê de "A Shade Of Gray" (4x22). Tipos, sensacional. Esta temporada anda tão "emotiva" que esse roteiro parece a coisa mais séria do planeta. Claro, não foi, mas que foi bom, foi.God, que saudades dos tempos tão áureos da quatra temporada... Que nem tão longe estão.

Mais uma vez, Dave Rossi fez absolutamente coisa nenhuma. Menos evitar sujar seus sapatos de couro italiano. Aaaaaaaaaah, pra quê fazer o Reid sofrer se com a fortuna de escritor best seller milionário do Rossi dá pra comprar trocentos sapatos de couro italiano? Seriously, Joe, se mata. Ou exija menos futilidade nos seus diálogos.

E Hotch... Bom, é o Hotch. Simplesmente dá as ordens e espera que elas sejam obedecidas. Não que isso seja má coisa, claro. É bom, muito bom, bom até demais pra falar a verdade. Melhor do que ele dar voadoras em cima de serial killers taxidermistas e onívoros, isso é trabalho do Morgan.

Morgan... Ah, é. A cena da foto que ilustra esse post NÃO apareceu nesse episódio. Pode coisa dessas??? Sacrilégio, Tio Bernero. Quero voltar a sentir saudades daquele tempo em que eu achava que ele e Prentiss estavam destinados a ficar juntos. Era bom sonhar. Ainda sonho, né, as é alguma coisa mais plausível ela ficar com o Hotch.

Garcia tava... Garciando. Só.

E... só. Tipos, tava tão empolgada pra escrever a review, mas acabei me enrolando e ficando sem tempo, e o texto ficou menor que eu planejei... Sorry pela demora, by the way.

Até a próxima review... O próximo epi terá participação do ganhador do Oscar Forest Whitaker, e será piloto do spinn-off. olta dia 7 de Abril. Uhul. Minhas unhas já se foram.


6 comentários:

Anônimo disse...

vc vê pontos negativos D+ pra quem diz gostar tanto da série...
se não gosta, não assista...

Gabriela Spinola disse...

Anônimo,

Acontece que a série não é só pontos positivos. Há, sim, muitos e incontáveis pontos positivos em Criminal Minds, mas a criticidade é um mal necessário, principalmente quando se escreve reviews.

Se você gosta de determinado episódio, há motivos para isso, correto? Então, para não gostar existem também os motivos, e geralmente o gostar e o não-gostar acabam sendo apenas pontos de vista divergentes da mesma coisa.

De qualquer forma, obrigada pelo comentário, e continue visitando o blog.

Danielle disse...

Falou tanto pra não dizer nada!! Vai assistir Lost que vc pode viajar mais!! ..

Gabriela Spinola disse...

Danielle,

Esses feriados meio que me deixaram enrolada na review. Eu tinha até escrito uma review boa e consistente num rascunho, mas perdi e cansei de tentar me "reenspirar". Bom, próximo episódio parece ser um poço de inspiração. =D

Anyway, sobre Lost, já desisti de tentar escrever reviews há um boooom tempo. Sério. É mais fácil assistir sem tentar tirar conclusões nem nada. Por isso que Criminal Minds roubou da série da ilha o posto de série mais amada do meu coração: porque não enrola. Querdizer, não tanto. E, mesmo quando é ruim, é boa.

Anônimo disse...

a gente acredita q vc gosta d CM depois de falar mau d todos os personagens da série kk

Anônimo disse...

NENHUMA série é só pontos positivos, querida
a JJ ainda é ótima, Garcia tem sua funçao na equipe,...enfim, sabe aquele botãzinho no seu controle remoto CH, c/ flechinhas pra cima e pra baixo? rs