"Public Enemy"


Eu amo essa série. Amo, amo, amo. Quando menos se espera, aparece algum episódio genial, bem balanceado, e com o destaque que um unsub louco, violento e insuportável merece.

Acho incrível que, involuntariamente, mesmo sem inclinação nenhuma do roteiro, AJ Cook consegue chamar a atenção para si nos episódios de outros e ferrar tudo quando devia atuar lindamente num caso pessoal de JJ, fazendo coisa nenhuma. É incrível. Deve ser algum dom paranormal, não sei. Nem mesmo o Matthew Fox consegue ser tão Cumpadre Washington de si mesmo.
Já Prentiss, ficou tão apagadinha que a maior importância dela eram nas frases do Hotch, tipos "se encontre com a agente Prentiss na lavanderia" ou "Prentiss e a equipe da SWAT estarão te aguardando no apartamento". Amei a cena dela com Rossi e Morgan via telefone na cena do crime, "desvendando" o complexo de herói homicida (sim, eu decorei o nome disso por causa da série -Q) do unsub. Eu racho sempre dos finais, em que Hotch se vira pra ela como quem diz "finalmente!" e ela vira a cabeça com aquela cara de "que merda, né". É. Né.

Reid? Fez nada. Mas sempre tem alguma idéia de alguma coisa que remotamente faz com que a equipe preveja alguma coisa imprevisível sobre o assassino e o pegue. Spencer, continue com seus P.h.Ds. Você definitivamente ultrapassou seu pai. =D

Hotch liderou tão bem nesse episódio que pareceu que voltamos à quarta temporada. Objetivo, centrado. Só não gostei dele ficar empurrando a Prentiss pro detetive e pro Rossi. É o Hotch da 4ª temporada de volta, ajudando a tornar os episódios ainda mais geniais.
Garcia mal apareceu, mas a nossa Baby Girl sempre alegra o sombrio ambiente do mundo dos serial killers onde (e quando) aparece. Ela podia ter tido mais espaço, mais referências nerd, mas o meio minuto em que apareceu já valeu, e muito.

Rossi... Bom, funcionou. Não ficou deslocado como fica 90% do tempo. Teve uma das cenas mais legais da temporada com Emily e Derek. E só. Ah, e é um sovina. Gente, o cara é um escritor best-seller ricaço que nem a Brennan de Bones, e só o que dá pra menininha são 500 dólares? Nem um Nintendo Wii a coitada pode comprar com isso.

Morgan fez apenas o que faz de melhor: chutar portas e prensar criminosos contra capôs, gritando "Don't move! Don't fight, you bastard!". Amei, anyway.

O episódio foi o que há muito se esperava de Criminal Minds: sombrio. Tivemos muitos episódios sombrios e até aterrorizantes nessa temporada, masos da 4ª ganham de lavada de qualquer outra série policial. Anyway, esse episódio foi perfeito: roteiro bem-estruturado, direção precisa, atuações ótimas, sem nenhum exagero (exceto a AJ Cook, cujo exagero já virou rotina).

Um unsub que mata pessoas em lugares públicos que o lembrem da relação de ódio que tinha com o pai para poder superá-lo é um tanto creepy, mas merecedor da atenção de todo seriador. Quando as pessoas me perguntarem o que eu vejo nessa série, eu TENHO que recomendar esse episódio.

1 comentários:

Anônimo disse...

De fato,acho que se ficasse só o Hotch pra você seria melhor!


É, se toca só um pouco vai.