"Risky Buiness"


Assim que lembrei-me que este seria o episódio JJ-Centric da temporada, entrei em pânico. Quis cancelar o download, fugir. Qualquer coisa, contanto que não me decepcionasse novamente com a atuação inexpressiva de AJ Cook. A questão é que eu não me decepcionei. Pelo menos não tanto quanto esperava. David Boreanaz, por favor passe o nome do seu professor de teatro pra AJ. Beijo me liga, Booth!

Pela primeira vez em todas as suas cinco temporadas, Criminal Minds repetiu uma trama. Aliás, reciclaram basicamente duas, visto que comparar “Risky Business” com “A Higher Power” sem lembrar de “Demonology”. O propósito da coisa toda foi simplesmente explicar o drama da JJ através dessa série de assassinatos. Ah, pelamor né? Uma garrafa de Tequila Grey e alguns minutos longe do Will e Henry, e a equipe toda teria descoberto isso facinho.

O episódio “A Higher Power”, da 3ª temporada, tem a trama quase igual a este episódio. Neste, pais de crianças mortas em um incêndio num jardim de infância foram assassinados por um Ajo da Morte, que fazia com que os acontecimentos fossem similares a suicídios. A questão, é: esse foi um episódio Emily-Centric. Tanto é que, na cena final do jatinho, a morena se questionava, junto a Morgan, se o trabalho deles, de “pegar os caras maus” (*Jack Hotchner Mode On*), adiantava alguma coisa. Enquanto isso, JJ mal bancou a figurante...

O caso em si não fez diferença alguma. E daí que os adolescentes se enforcavam em maçanetas porque ficavam com tesão? Gente dessa minha idade não pensa muito, mesmo. Ok, era bem mais complicado e macabro que isso, mas who cares? Minha única alegria em relação ao caso foi o plano B de Hotch: pedir Garcia para interrogar Chris. Foi tão fofo... Morra, Kevin. Até a Buffy prefere o Booth.

Levando em conta a conexão pláaaaagio de “A Higher Power”, esperava uma participação mais ativa de Prentiss. Até a JJ ficou como coadjuvante no próprio episódio, visto que Garcia roubou a cena total.Mas quem precisa de Prentiss chutando portas, vidros, some asses e unsubs alheios, enquanto ela passa o episódio inteiro juntinho do Hotch? OMG morri Ou quando ela e Reid têm uma cena fofa como a da musiquinha da Claire Littleton do quebra-cabeça “impossível”? =D

Pra voes verem como “Risky Business” e “Demonology” parecem mais plágio um do outro que de “A Higher Power”, vejamos os elementos... Segredos envolvendo família e algum outro membro da equipe bancando o paizão. Mas a atuação da Paget Brewster ainda é bem melhor, né. E, vamos falar seriously agora, o trauma de Prentiss piriguetchyyyy! É bem mais interessante do que o da JJ mala elevada à enésima potência.

Nem pra ter um episódio original JJ serve. E o que foi aquele “quando você se lembrar dela, você vai sorrir” pro Hotch? OIq? Vamos ver se ela vai sorrir depois de perder o Henry e o Will. Vamos ver. Vamos chamar o Sayid Jarrah aqui, então.

Eu quero, tipos, MUITO que o Kevin quebre todos os ossos do corpo por mágica e que o Chris reapareça. Ele e a Garcia juntos seria muito... Cougar Town.

Tchau, JJ. Contagem regressiva pro próximo episódio começando... Agora.

3 comentários:

Silvinha disse...

Calma, Gabi, você está pegando muito no pé da JJ!! rsrs

Prentiss não teve nenhuma reação mais estranha neste episódio, assim como a JJ nem ligou pros aparentes suicidas de 'A Higher Power'. A própria Prentiss fez que nem era com ela em 'The Crossing', quando a vítima disse pra ela e pra JJ que tinha cometido um aborto. Imagino que sejam erros de continuidade ou talvez falta de capricho porque até este episódio, todo mundo jurava que a Prentiss é quem tinha um passado familiar envolvendo suicídios e não a JJ.

A Paget é muito mais atriz do que a AJ, né. A AJ não conseguiu ser destaque em seu próprio episódio e eu acho tão estranho quando ela tenta chorar!

Garcia rules!!!
Amei a conversa dela com aquele garoto!!

Gabriela Spinola disse...

Silvinha,

Realmente estranhei isso de Prentiss nem reagir aqui. Em 'The Crossing' também, mas nesse epi ela pelo menos sacou que tinha algo errado com a vítima e participou mais ativamente, assim como em 'Birthright'. A falta de participação ativa dela aqui pode até passar em branco pra mim futuramente, mas me indigno completamente com a JJ. Com a atuação da AJ, principalmente. Tipos, gente, mais coadjuvante no próprio episódio que ela, só a Emilie de Ravin (Claire de Lost).

Acontece que, em 'A Higher Power', ao que podemos concluir depois desse episódio e de 'Demonology', a zica da Prentiss não era com o suicídio em si, mas sim com o motivo disso: as crianças. A única coisa 100% certa sobre ela, desde a 2ª temporada, é que ela tinha uma certa afeição especial com crianças (de uma forma um tanto maternal mas igualmente culposa), assim como Reid se identifica com jovens rejeitados. Portanto, nem me importo com a "falta" dela aqui, mas a falta de capacidade dramática da AJ me apavora.

Como eu disse... David Boreanaz, favor passar o número do seu professor de teatro pra AJ. ¬¬'

larissa helena disse...

Bom episodio... e com certeza a Prentiss é a mais suicide history, mas o que se destaca é a inaptitude de AJ de me fazer acreditar nela.

Como eu disse... David Boreanaz, favor passar o número do seu professor de teatro pra AJ. ¬¬'[2]

E o seu cel pra mim. bjsmeliga/atóron