"Cradle to Grave"

Sim, provas de matemática ocupam grande espaço na minha já lotada agenda, por isso acabei enrolando as outras reviews. Anyway, com meus inúmeros episódios finalmente em dia, lá vai.

Com o plot de se inspirar no maluco psicopata austríaco Josef Fritzel, o episódio tinha tudo paa ser brilhante. E, de certa forma, correspondeu a essas espectativas. O problema foi não só a demasiada demora para a resolução da trama como o foco excessivo em Morgan, por causa dos "planos-Cebolinha" do Hotch graças à nefasta e aterrorizante aparição da Chefe da Seção Erin Strauss (ou o cover da minha nada amada professora de ciências, Reginossauro).

Olha, o caso não foi lá essas coisas. Bizarro? Sim. Mas não a coisa que eu esperava - ou seja, algo totalmente sangrento, sádico e ilógico. Era tudo excessivamente meticuloso, planejado, acertado. Absurdo, até. Sério, gente, eu não pensava ser POSSÍVEL uma mulher desejar tanto ser mãe como a unsub maluca. Existem Nazarés (alguém lembra?) da vida, mas isso é totalmente absurdo. Bem ao estilo de Criminal Minds, obviamente.

Eu esperava mais ação por parte de Prentiss. Ela participou bem, na medida do possível, mas ficou tão apagadinha que nem pensei ser a mesma personagem da quarta temporada. Temporada passada ela teria se imposto, reclamado, xingado, mudado o curso da investigação e descoberto basicamente tudo sozinha (exceto pelos bizarrísimos perfis geográficos do reid), tornando o episódio brilhante. Temo que a JJ tenha lhe feito uma lavagem cerebral...

No mais, temos Hotch. Claaaaaaro, Hotch. O nosso poderoso chefão. É claro que o Bureau o está pressionando, o cara pirou totalmente (e duvido que qualquer outro personagem de qualquer série faria diferente). Mas é simplesmente GENIAL o propósito dele de comandar a BAU sem que o resto do FBI se dê conta. É claro que Derek, com seu jeito esquentadinho e temperamento vulnerável, não vai dar coonta do recado sozinho, e aí eu espero o apoio não só de Hotch como de Emily - afinal, iria ser interessante vê-la retribuir todo o apoio que o garanhão Morgan lhe dera desde que entrou na BAU.

Garcia é, definitivamente, o alívio cômico da série. Já que as interações ótimas entre ela, Morgan, Prentiss e Reid se foram junto com a brilhante temporada anterior, agora a geek mais querida da TV (ou seria esse o Sheldon Cooper?) não só arrasa no que faz - muito mais que JJ, convenhamos - como já está até sonhando com seus fofíssimos futuros filhos com Derek Morgan. Pobre Penelope, a dona Tamara Barnes (a irmã de uma vítima do 5x03) vai voltar no próximo episódio...

Cheers!

2 comentários:

Anônimo disse...

CONCORDO COM VC. ALIAS TENHO QUASE CERTEZA QUE ESTA SAÍDA ESTRATÉGICA DE HOTCH DO COMANDO DA BAU FACILITARÁ O POSSÍVEL ENVOLVIMENTO DELE COM A EMILY. AFINAL AMBOS SÃO MUITO FORMAIS PARA ADMITIR QUALQUER ATRAÇÃO UM PELO OUTRO, NA POSIÇÃO DE CHEFE E SUBALTERNA, NÉ? NÃO VEJO A HORA DE ASSISTIR AOS PRÓXIMOS EPISÓDIOS.

Loony Reid disse...

AHAHAH
tinha saudades das reviews*.*