"To Hell... And Back"


By Gabriela Spinola
Muitas vezes, fazer season finales é, para a maioria das séries, uma penitência indescritível. "Duplo ou não? Como será o cliffhanger?". Essas são apenas duas das muitas dúvidas que assolam tanto os roteiristas e produtores quanto os fãs. Um season finale pode ser genial e histórico, ou um desastre medonho e catastrófico.

"To Hell... And Back" mostra a história de um serial killer que escolhe suas vítimas - viciados, prostitutas e moradores de rua - e as leva para a fronteira do Canadá, as prende e mata para dar de comida aos porcos... O que levava a parecer totalmente absurda e estapafúrdia a alternativa de o unsub ter problemas de retardação mental - cuja confirmação só veio com Reid encontrando os desenhos.

Lucas Turner era só o braçal. Seu irmão, Mason, era a verdadeira "mente brilhante" por trás da coisa toda. Tetraplégico, preso a uma cama e com uma traqueostomia (sei que é algo relacionadoà traquéia, mas o pessoal de Grey's Anatomy fala tão rápido que me confunde), fora empurrado pelo próprio irmão do topo do celeiro e ficou naquele estado. Admitamos, além de sádico, o comportamento de Mason (olhar tudo o que o irmão fazia pelos espelhos) era bastante nojento.

Não é que o episódio tenha sido ruim ou chato, mas eu acho que foi desnecessário terem extendido tanto o caso da semana. Para mim, poderia ter sido os primeiros 40 minutos com o caso da semana, e os outros 40 caçando o Foyet. Porque, desde o começinho, eu já estava roendo as unhas, quando li entre os nomes dos atores convidados, um tal C. Thomas Howell.Aí quando a trama toda se arrastou por 1h20, eu já estava perdendo a paciência porque queria ver "O" unsub na tela. Ou melhor, queria ver o que aconteceria quando ele aparecesse, quem da equipe iria se ferrar, e talz...

Mas antes de comentar o cliffhanger, uma observação importante: todos os personagens participaram bem. Até a JJ, de quem não gosto nem um pouco. O destaque vai, em maior parte, para Rossi e Hotch, mas todo mundo tem seus 20 segundos de genialidade. Até Garcia, que tem aparecido muito pouco para ser a personagem bacana e de alegria "infecciosa" (palavra da filósofa Phoebe Buffay para "contagioso", "contagiante" e derivados) que é.

JJ deixou de ser um encosto na equipe que se descabela por qualquer coisinha relacionada a bebês para finalmente trabalhar (e repito o que já disse, não é porque ela tem um filho que ela saiba mais que Prentiss como é perder um - e nem por isso a morena simata toda vez que uma criança aparece). Rossi está agindo como um chefe, e pisando cada vez mais naquele esterótipo de "líder" que relacionávamos a Gideon.

Hotch, que é o verdadeiro líder, continua a mesma coisa - sério, frio e sem demonstrar o mínimo de suas emoções. Mas é o que mantém unida e organizada a equipe de campo da BAU. Reid, idem - a mesma coisa de sempre, mas ainda assim cumprindo sua função de gênio tagarela e carismático que todo mundo adora.

Já Morgan... Bem, eu nem me importo muito, já que ele é, mesmo, o John Rambo da série, e não uma amoeba sentimental (que é o que faria sentido para torná-lo um personagem com muito e maior destaque na série). Podiam explorar mais a relação fraternal entre ele e Prentiss (que ficou bem apagadinha depois de "Demonology"), já que é um tópico que favorece a ambos os personagens, e que poderia ser uma storyline que favoreça o estabelecimento de cronologia dos episódios para quem vê na TV e, por consequência, assiste a um episódio sim, um episódio não...

E Prentiss, precebe-se, deu uma forte guinada na personalidade desde que exorcizou seus demônios interiores. O sarcasmo e a emotividade bastante presentes na 3ª temporada cederam um pouco de espaço para um maior desenvolvimento da seriedade. E é por isso que ela é uma das minhas presonagens favoritas, junto com Christina Yang, Violet Turner, Derek Shepherd, Benjamin Linus...

Agora, vamos ao que interessa: o cliffhanger. Digno da 1ª temporada. Hotch, morreu ou não? Quem lançou o tiro - Aaron com sua 2ª arma, Foyet ou alguma outra pessoa que estava ali? É óbvio, no entanto, que otchner sobreviverá - afinal, se Thomas Gibson fosse sair da série, haveriam rumores a respeito. Agora, o que me encuca é como eles vão encontrar uma saída para essa situação. Por favor, nada absurdo...

P.S.: No blog americano "Criminal Minds Fanatic", criaram uma espécie de "promoção": você escreve, nos comentários, como você acha que serão os primeiros minutos do episódio 5x01, resolvendo o cliffhanger ao seu gosto.Farei o mesmo aqui, para vocês exercerem a criatividade (e para eu ver se alguém teve a mesma idéia que eu). Comentários abertos!

6 comentários:

Thais Afonso disse...

Tá, decidi postar minha teoria antes de sair. Não lembro direito do MO do Reaper, mas enfim... Acho que talvez ele de um tiro para incapacitar o nosso querido Hotch (na perna, no braço, sei lá, em algum lugar onde ele não sangre até a morte rápido) e o levaria (isso é tão Henkel, mas whatever). Depois ele iria atrás da única mulher da BAU que é solteira, e que portanto serviria, nossa querida Emily. Ele a torturaria primeiro, mas depois mata-la e matar o Hotch por último (era isso que ele fazia com as vítimas originais? Eu não consigo me lembrar). Mas enfim, isso é só meu cérebro shipper pensando.

jackie disse...

Gostei, vou dar a minha idéia:

Hotch olha para Foyet que lhe diz algumas palavras e atira. O tiro acerta a barriga de Hotch ele continua a olhar para Foyet sem pronunciar nada depois coloca a mão sobre o ferimento e olha o sangue em sua mão. Então Hotch começa a sentir a dor pela tiro caminha para trás enconstando-se na parede e olhando para Foyet escorrega até o chão. Foyet se aproxima de Hotch e tira a máscara e com sarcamo olha para Hotch ferido e diz:

- Eu serei a última imagem que você levará para inferno.

Foyet se afasta e aponta novamente a arma em direção a cabeça de Hotch. Hotch sente que não terá como sobreviver que este será o seu fim, porém antes que Foyet pudesse atirar Morgan chega e atira em Foyet que cai ferido.

Morgan se aproxima de Foyet e diz:

- Fim de Jogo.

Hotch é levado para o hospital, passa por uma delicada cirugia, mas sobrevive para alegria de seu time.


PS: Eu adoro a Emily e gostaria que ela salvasse o Hotch, mas segundo a história acredito que o Morgan é o mais indicado a matar o Foyet por ele ter quase o matado.

Ban disse...

Tem de ser algo maior...
Mas nao acredito que ele morra. Não mesmo. Ele é a alma do seriado... Tá, a equipe toda é a alma, mas ele...

Ai que ódio! O cara tava mirando na cabeça dele e eu ouvi um tiro!!! Quanto tempo? 3 meses até saber o que aconteceu???

Celia Kfouri disse...

Eu acho que, de aguma maneira, ele será atingido e não morrerá. E enquanto ele se recupera, a equipe estará protegendo Hotch, perseguindo o Foyet,até que ele seja preso e Hotch esteja bem e a salvo.

Soa familiar? Pois é... Acho que será algo bem parecido ao que aconteceu com a Garcia.

Celia Kfouri disse...

Lá no www.comentariosemserie.com.br, a Jackie levantou a possibilidade de o suspense terminar só no 5x02, para serem ainda mais cruéis com o público. Aí, isso me deu uma outra idéia, que postei lá, e vou copiar aqui.

“Jackie, Será que nos deixariam na angústia até o 5x02?? Bom, espero que não. A menos se for para termos uma espécie de flash back do Foyet. O 5x01 nos mostraria o que ele andou fazendo até agora, inclusive o que ele fazia enquanto a equipe caçava o Mason Turner, e terminaria com a mesma cena final, mas do ponto de vista dele. Ele, dentro da casa do Hotch, esperando pela sua chegada.
Humm... não tinha pensado nisso, mas seria interessante. Aí haveria motivo para deixar pro 5x02. Bom!!”

Anônimo disse...

Olha gente, posso estar atrasado, mas aqui em casa adoramos o suspense da série, por isso assistimos bem devagar... Acabamos de assistir aos episódios finais e a pulga voltou para as nossas orelhas.

Acreditamos que o Hotch não vai morrer, uma vez que realmente ele é o pilar principal, o elo que mantém a equipe do BAU integradas. Sua liderança deveria ser copiada por muita gente aqui no Brasil. Mas este é outro assunto.

O Foyet não é do tipo de atira e vai embora. O cara é frio e já provou isso quando ficou face to face com o o Morgan.

Ainda não temos uma teoria, entretanto lendo os sites e os coments, nossa aflição não terminará no primeiro episódio da quinta temporada.

É aguardar para ver.

Abraços!

Luiz Gallo