"Demonology"


By Gabriela Spinola

Acho que, se eu não tivesse me entupido de spoilers, teria me surpreendido muito mais com esse episódio. Mas, mesmo assim, conseguiram usar o que poderia ser simplesmente uma medíocre trama de fundo envolvendo um personagem, à uma história suficientemente decente e que provavelmente satisfez muitas das expectativas dos fãs de Emily Prentiss.
Desde que entrou na equipe da BAU, uma coisa extremamente notável a respeito de Prentiss era sua exagerada frieza. Não se deixava - e ainda não o faz - abalar emocionalmente por quase nada. Quase um Hotch usando saias. Já dizia o finado John Locke/Jeremy Bentham em Lost (frase que foi citada, inclusive, por garcia em "Lucky" e "Penelope" diversas vezes): "Tudo acontece por um motivo". E é ótimo descobrir as motivações dos personagens, os fatos, sejam eles trágicos ou não - mas, claro, geralmente trágicos - , que moldam as personalidades deles.
Eu, particularmente, não acertei minhas teorias, mas ainda assim gostei da explicação dada, porque foi algo totalmente crível e condisente não só com a personalidade de Prentiss, mas também com a história entre ela, Matthew Benton e John Cooley.
Eu, fã confessa da ameaçada "Cold Case", me lembrei imediatamente de Lilly Rush e Raymond Williams, que cresceram juntos e sempre apoiaram um ao outro, até ela renegar o pedido de noivado dele porque sabia que ele não poderia vender a Harley-Davidson para comprar-lhe o anel de noivado (motivo inútil, mas todo fã da série sabe a medona enorme que Rush tem de relacionamentos).
Uma grande reflexão que o episódio causou, pelo menos em mim, foi sobre a amizade como plano de fundo. Pensei no que aconteceria se eu, de repente, daqui a uns 20 anos, descobrisse que meu melhor amigo morreu. Assim, do nada, no vácuo. O baque seria muito grande, visto que eu e meu melhor amigo, Vinicius, nos conhecemos desde os 6 anos, e somos confidentes um do outro desde então. Para se ter uma idéia, enquanto estudávamos juntos na mesma escola, ele mal chegava em casa e já me ligava para comentar alguma coisa que havia esquecdo (detalhe: ele sempre ligava ANTES de eu chegar, e quando eu não estava em casa. Ainda liga, mas não é com tanta frequencia. )
E eu entendi muito bem o que Prentiss quis dizer com "quando se tem seus 15 anos... Ser aceito, é só o que você quer". Nem todo mundo tem aquela enorme facilidade para conversar e "socializar" como a maioria dos jovens hoje. E eu digo isso por mim mesma... Agora, se me mantendo na mesma cidade e no mesmo país já é difícil, e complicado, imagine quando você viaja mais que o U2 em turnê mundial.
Focaram muito em Prentiss (não reclamo porque o episódio foi PERFEITO), mas mais uma vez vimos conflito entre o ceticismo de Rossi e Morgan. Nenhum dos dois realmente acredita que Deus controle nossas vidas, e essa disputa já foi travada incessantemente em "Lucky". Me lembro claramente da frase de Morgan para o padre local: "quando eu era pequeno, aconteceu algo muito ruim comigo. Eu rezei, pedi para que Deus me ajudasse, e sabe o que ele fez? Nada. Só ficou ali olhando."
Hotch, perfeito. Fez tudo o que pode - e o que não pode - para ajudar Emily. Recusou a entrega do distintivo e da arma. E, claro, olhou feio pra fora da janela quando John chegou. Momento shipper não podia faltar, né?
A cena em que Prentiss revela o seu "segredo" a Rossi provou que todo muro, cedo ou tarde, desaba. Dra. Miranda Bailey, um exemplo incrível de pessoa durona que acaba soltando toda a carga emocional presa por muito tempo através de algum gatilho inesperado. Quem não se lembra de Jack Bauer quando o pseudo-finado Tony Almeida "morreu"? Ou do final de "Stalker", episódio histórico de Cold Case em que Scotty salva a vida de sua parceira, mesmo colocando-a e a si próprio em risco? Prentiss foi a linha entre o emocional e o profissional que, muitas vezes, várias séries cruzam com desmasiada frequência.
Aquela tristeza e fragilidade demonstrada nos cinco primeiros minutos do episódio, assim como o olhar vazio, expressando a incerteza descarrilhada pela morte do melhor amigo se mostrou presente em Prentiss durante todo o episódio, e foi um dos motivos pelo qual o episódio foi de um reles episódio de meio de temporada a um marco na história da série e prova da "fonte de genialidade" dos produtres da série.
Não há mais palavras possíveis de serem encontradas para descrever o impacto que esse episódio teve... Só posso dizer três coisas: OMG!!! (ok, sem-graça). Para encerrar com chave de ouro, duas citações de duas músicas que adoro...
Atormentado com o peso de todas as palavras que tenta dizer
Acorrentado em todos os lugares que não deseja estar
Junto com todos o peso de todas as palavras que ele tenta dizer
E quando encontra o sol ele não lança sombra
- Oasis, "Cast no Shadow" (Noel Gallagher)
Você é o melhor
E sim eu realmente me arrependo
Como eu pude me deixar
Deixar você ir
Agora a lição está aprendida
Toquei e fui queimada
Acho que você deveria saber
Que quando estou com ele, penso em você
- Katy Perry, "Thinking of You" (Katy Perry)

3 comentários:

jackie disse...

Gostei dos seus comentários, assim como vc tive meus anseios atendidos. Amei o episódio focado na minha querida Emily.

A Paget é uma excelente atriz, a cada dia admiro mais ela!!! Hehe.... =D

Bjs e até mais! Jackie.

Silvinha disse...

Dizer que eu amei é pouco!!
Eu não me importei com o fato de que o segredo foi algo comum porque foi escrito de uma maneira convincente e atuado de forma brilhante pela Paget.

Eu amei porque finalmente tivemos um episódio centrado na Emily e a revelação do seu passado fez sentido pra explicar a grande agente e a fantástica mulher que ela é.

Só acho que episódios assim precisam de 2 horas porque o caso da semana ficou meio obscuro.


Pensei que não fosse possível, mas eu amo a Emily mais ainda do que antes!

Prentiss rocks!

Giovanna disse...

Consegui! (aperta play e ouve we are the champions)...

Sério, tava rezando pra alcançar a exibição americana no Demonology e não é que consegui.

Excelentes comments,episódio tudo de bom, Paget destruiu em atuação, e adorei o Rossi (coisa meio rara...)

Só tenho um aviso: o review do indieseries terá uma montagem shipper de ilustração...não resisti!