"Pleasure is my Business"

By Gabriela Spinola


Episódio incrível, com temática bastante inusitada acerca da unsub, e com Hotch em destaque (o que não acontece com tanta intensidade desde "Natural Born Killer", da 1ª temporada)...

Uma serial killer. "Uma", no feminino. Coisa extremamente rara e quase nunca vista/estudada. Só por isso, o caso já era um desafio por sí só. A assassina era uma "prostituta luxuosa" - se assim podemos chamá-la, vai saber - que envenenava seus clientes, bando de empresários ricaços sem muito o que fazer, na maioria casados, e que buscavam alguma coisa além de sexo (bom, pra isso eles tinham as suas esposas, mas homem é homem, e eu não tenho a menor paciência para entender esse tipo de homem). Até aí tudo bem, só que ela vê Hotch no elevador, e acaba por se "interssar" por ele.

Vale a pena lembrar que Hotch já cruzou com o unsub do caso em questão e não notou, anteriormente. Exatamente em que episódio eu não lembro, só lembro que foi nessa mesma temporada... Ela vê em Aaron uma boa pessoa, ao contrário de tdos os homens que já conheceu (incluindo o próprio pai nisso), e isso tudo só numa googleada. A própria unsub disse não entender como Haley teria sido capaz de deixar um homem como Hotch (entendam como quiser)... Acredite, nem nós entendemos. Haley simplesmente saiu de casa com o filho enquanto Hotch viajou a serviço. Só. Na maior cara-de-pau, ainda pior que a Chris de "Cold Case" fez com o Scotty (eu falei desde o começo que namorar a irmã da Lilly não ia dar certo, pena que os roteiristas não me conhecem, senão a série iria estar muuuuuito melhor).

Geralmente, crimes motivados por vingança, sejam passionais ou não, são bem mais violentos, especialmente porque o/a unsub pretende infligir à vítima a mesma dor que sentiu, e as vítimas são substitutas do(a) ser odiado(a). Nesse caso, foi um pouquinhodiferente, visto que a tortura infligida aos clientes/vítimas da unsub foi psicológica, e não física. Pelo menos até a um certo ponto, até antes do que foi "despejado" no elevador.

A grande ironia de quando foram revistar a casa da unsub (sei que chamá-la de "a unsub" tá enchendo a paciência, mas eu assisti sem legendas e não vi o nome dela) foi que Prentiss e Morgan encontraram um anel de castidade. Através dele, você se livra de casamento/sexo (sso foi tema de um episódio genial de Cold Case, que rendeu uma bela briga entre comunidades religiosas e os produtores da série), e o anel era pequeno demais para caber no dedo de um adulto - ou seja, ela estava "evitando" isso desde criança, mas acabou deixando de lado...

Outra coisa que merece menção é a cafetã/cafetina (sei lá qual é o certo, pra mim tanto faz) que tem um papel semelhante ao do canastrão Viper, em "52 Pickup". Ela treina as prostitutas "de luxo" - ainda não decidi se ser uma prostituta, por mais que "trabalhe" com a alta sociedade, é luxo ou não - e ele ensina os nerds, gordos malas e demais anti-sociais a se darem bem com garotas... Bom, é quase a mesma, coisa, exceto pelo fato de que os segundos não recebem nada pelo ato em si, e que Viper quase se deu bem com Prentiss (mas se alguém realmnte achou que ela ia cair na pseudo-lábia do maluco mala, enganou-se redondamente). Aliás, nunca vi Reid gaguejando tanto e tão desconfortável com um determinado assunto quanto nesse episódio. Acho que Morgan poderia voltar às suas "aulas práticas" com o nerd, com fizeram com a bartender - situação inusitada que deu totalmente certo.

Sempre gostei do Hotch. Por mais sério, mala e sem nenhum senso de humor que ele possa ser às vezes, é como se fosse o patriarca da "família" da equipe da B.A.U. Sabe exatamente o que fazer quando a coisa "aperta" pro lado da equipe, sabe quando agir e como agir. Hotchner é um perfeito líder, e ainda que não devesse, respondeu com sinceridade às perguntas da unsub sobre sua separação de Haley e Jack. Ficou com a assassina até o seu (literalmente) último suspiro, segurando a mão dela, apoiando-a. Já gostava dele antes, gosto ainda mais agora.

Ah, alguém na comunidade oficial do orkut de Criminal Minds falou: "Hotch solteirão? Só se ele quiser... Porque a Prentiss tá ali dando sopa". Sabe que eu concordo?

Cheers!

3 comentários:

Thais Afonso disse...

Pois é, Gabi. Tem como não amar o Hotch? Ele foi perfeito, e se eu não me engano, o 4x18 é dele também. E a Emily realmente está ali, grudada nele o tempo todo, é só ele abrir os olhos.

jackie disse...

"Hotch solteirão? Só se ele quiser... Porque a Prentiss tá ali dando sopa". Essa frase foi minha...hehe!

É, eu sou absolutamente HP e se fosse contrata para escrever para CM todos teriam que aturar as minhas cenas shipper deles!

Sobre seus comentários, achei mto bacana detalhou mto bem os motivos da Megan (esse era o nome da unsub).

Gostei mto dessa sua frase: "Geralmente, crimes motivados por vingança, sejam passionais ou não, são bem mais violentos, especialmente porque o/a unsub pretende infligir à vítima a mesma dor que sentiu, e as vítimas são substitutas do(a) ser odiado(a)." Mandou mto bem!!!

Vc como sempre fazendo referência a CC vc é fã, hein???

Gaby, até o próximo episódio... o mais aguardado de todos dessa temporada!!!

Silvinha disse...

A JJ agora virou profiler? Apesar de reconhecer que a JJ é realmente boa no que faz, acho que ela não precisa aparecer mais do que já aparece! rs

O outro episódio em que o Hotch se encontra com o Unsub foi o 4x4 - 'Paradise'.
Faltou um pouco mais de interação do time, mas eu gostei bastante deste ep. e Hotch mostrou porque ele é o cara. Ele sabe como sair das situações e eu fiquei surpresa com a cena em que a Megan mata o viúvo e também com o time apresentando o perfil aos advogados e não a polícia.

Agora dedinhos cruzados! Como disse a Jackie, vamos torcer para que o 4x17 - certamente o episódio mais esperado da temporada não só no Brasil, mas também nos EUA - valha mesmo toda essa espera.