Personagens

Jason Gideon (Mandy Patinkin)


Gideon era considerado o melhor analista comportamental da BAU. Ajudou Morgan e Reid em vários momentos. Antes do episódio piloto, teve um colapso nervoso após mandar seis homens numa força-tarefa falha incluindo uma bomba, sendo que todos os seis agentes morreram e ele foi severamente criticado pela sua decisão. Após uma série de casos emocionais, Gideon resolveu desistir, e o estopim para essa decisão foi a suspensão de Aaron Hotchner, pela qual se sentiu culpado. Se refugiou em sua cabana e deixou uma carta para o dr. Reid, o qual tinha certeza que estaria procuarndo por ele.


Aaron "Hotch" Hotchner (Thomas Gibson)


Hotch trabalhava, originalmente, no escritório do FBI em Seattle, Washington. A falha tentativa de equilibrar sua vida pessoal, a esposa Haley e o filho Jack, com a vida profissional, resultou num divórcio após a suspensão de 2 semanas proferida por Erin Strauss, que o estava pressionando para tirá-lo da equipe após a saída de Gideon, o que obviamente não deu certo. Hotch era um promotor público em Seattle, antes de trabalhar no FBI. Em "Natural Born Killer", um comentário durante o interrogatório de Vincent Perotta leva a crer que Aaron sofreu algum tipo de abuso quando criança. Seu irmão caçula, Sean, aparece em "The Tribe".


Dr. Spencer Reid (Matthew Grey Gubler)


Reid é um gênio, se formou no colegial aos 12 anos. Quando pequeno, seu pai o abandonou e à mãe, visto que já não conseguia mais lidar com a esquizofrenia da esposa. Reid aprendeu quase tudo o que sabe através de livros teóricos. Aos 18 anos, internou a mãe num insituto mental, e passou a escrevê-la cartas todos os dias para compensar a culpa que sentia por não poder visitá-la. Foi sequestrado e dopado por um serial killer bipolar, fato através do quel desenvolveu um sério problema de vício. Possui memória fotográfica, qualidade bastante útil em alguns episódios. Com muita frequencia, Spencer se sente desmasiado responsável por certos incidentes, como em "Minimal Loss", ele e Prentiss foram feitos reféns por um polígamo (interpretado por Luke Perry), e Prentiss acaba espancada após encobrir Reid. Tem PhDs in Matemática, Química and Engenharia, assim como Bachelorados em Psicologia, Sociologia e Filosofia.




Derek Morgan (Shemar Moore)


Nascido em 6 de Junho de 1973, faixa preta em Judô, ex-policial em Chigaco do esquadrão Anti-Bomba, Derek cresceu em Chicago com as duas irmãs, Sarah e Desirée, e viu o pai ser morto aos 10 anos. Começa a estuar num centro local para jovens, tendo Carl Buford como mentor - o que não impediu que fosse sexualmente abusado por Buford, assim como vários outros garotos que passaram pelo centro. Foi cotado para substituir Kate Joyner no escritório do FBI em Nova York.



Emily Prentiss (Paget Brewster)


Nascida em 20 de Outubro de 1970 (estima-se, porque Reid não terminou de dizer a data), é filha de uma embaixadora, formada em Yale, conhece Hotch de um trabalho de equipe de segurança para a mãe, quando estava se formando. Sua chegada surpreende tanto Hotch quanto Giedon, visto que nenhum dos dois soube algo sobre o papel de transferência dela, e que ainda estavam abalados com a saída de Elle Greenway. Emily insiste em provar que não está na equipeporque os pais mexeram os pauzinhos, e sim porque é competente. Fluente em árabe, também sabe falar russo, espanhol e francês (seus avós moravam na terra do Inspetor Clouseau). Se demitiu após Erin Strauss tentar usá-la para, uh, "destruír" a carreira de Hotchner, porém Garcia manteve seu nome no sistema do FBI por tempo o suficiente até convencê-la, assim como fez com Hotch, a ficar. Em "Minimal Loss", quando ela e Reid são feitos reféns por um polígamo líder de uma seita religiosa, Ben Cyrus (interpretado por Luke Perry, ex-Beverly Hills 90210), encobre Reid e o afto de que é um agente federal para impedir que Cyrus o mate e acaba espancada, o que resultou num enorme sentimento de culpa por parte de Spencer.


Penelope Garcia (Kirsten Vangsness)


Garcia é a técnica de computação da BAU, que costuma passar "cantadas sujas" para Morgan via telefone, e vice-versa. Ainda que nunca tiveram uma relação amorosa, ambos já apresentaram ciúmes um do outro.Perdeu os pais num acidente de carro aos 18 anos, devido a um motorista bêbado, e assistencia famílias de vítimas de assassinatos no tempo livre. É fã de jogos online, especialmente MMORPGs, e tam,bém gosta de quadrinhos (fã do Frank Miller, criador de '"300"). Levou um tiro em "Lucky", por um homem que a tinha levado para um encontro. Namora atualmente Kevin Lynch, o analista técnico que foi chamado, em "Penelope", para vasculhar em seu computador na central da BAU por alguma informação que pudesse levar ao homem que lhe deu o tiro.


Jennifer "JJ" Jareau (A.J. Cook)


JJ é a oficial de comunicações da BAU, ou seja, faz coletivas de imprensa e as apresenta ao público como forma de evitar que o assassino volte a agir, e também escolhe os casos nos quais a equipe deverá trabalhar. Saiu num encontro com Reid em um jogo dos Washington Redskins, mas nada aconteceu (ainda bem). Jogava futebol na adolescência, mais especificamente no colegial, usando isso como um mecanismo para ganhar uma bolsa integral de faculdade, visto que não acreditava ser capaz nem de pagar uma faculdade boa, nem de entrar para uma através das notas. Ainda assim, entrou em Pittsburgh. Tem um filho com o detetive William Lamontagne Jr., o qual Reid e Garcia são padrinhos.


David Rossi (Joe Mantegna)


David estava antecipadamente aposentado quando voltou para a BAU, na esperança de encontrar um assassino de um caso muito pessoal que investigou antes de se juntar para o FBI. É um dos fundadores da BAU, antigo amigo de Hotchner, e, segundo JJ, "a razão pela qual regras sobre relações internas existem no FBI". Substituiu Jason Gideon após a morte de Sarah, ex-amiga de faculdade de Gideon.




Elle Greenway (Lola Glaudini)


Greenway trabalhava em Seattle, Washington, e entrou para a BAU como especialista em crimes de teor sexual. Seu pai era policial, assassinado a trabalho. É descendente de cubanos e fala espanhol fluentemente. Após levar um tiro, volta ao trabalho rpidamente, apesar dos avisos por parte de Reid e Gideon. Depois disso, começa a perder a calma com muita frequencia, e, por vezes, o bom senso, como quando enfrentou e assassinou um estuprador em série a sangue frio, ainda que ela e a polícia local tenham alegado auto-defesa. Hotchner sabia que não era verdade e, após questionar a integridade de Elle, ela acabou por devolver a arma e o distintivo a ele, como uma admissão de culpa.

3 comentários:

Juliana Correia disse...

Ai, acho que a série tá precisando focar mais no Hotch e na Garcia, na história deles.. e Claro, juntar logo o Hotch e a Prentiss! Adoro seu blog, continue com o trabalho!

Anônimo disse...

Na verdade acho que a serie deveria se focar no Reid e no morgan que sofreram e sofrem muito ainda hoje...Reid é excepcional,eu o amo demais meu deus. E acho que Reid tem que admitir sua quedinha pela Pretiss logo. Louca assistindo Criminal Minds.

J. Oliver disse...

Acho que nessa proxima temporada eles poderiam dar uma namorada para o spencer e fazer com que o gideon volte mesmo que só para ajudar o pessoal informalmente ele faz mt falta :(