The Thirteenth Step

Primeiramente, antes de começar a escrever os comentários aqui no blog, minhas mais sinceras desculpas por ter "abandonado o barco" nestes últimos meses. Bom, digamos apenas que, por mais injustificável que isso seja, pegar recuperação final, meu pior pesadelo de aluna nerd quando estava na 1ª série, se concretizou, e tive que (literalmente) dar o sangue para não ter que repetir a porcaria do 1º colegial. Apesar de estar impossibilitada de usar o computador até em pensamento, "dei um jeitinho" e recuperei os episódios que faltavam para assistir, finalmente voltando a acompanhar de acordo com a exibição americana no episódio Prentiss-centric desta temporada, que acabou sendo um fake-Prentiss-centric, mas eu perdôo (só hoje, viu Bernero, minha cota de perdão de 2011 já tá esgotada e olha que Janeiro nem terminou).


Então, vamos ao que interessa, né.


Seguintchy, meus queridos companheiros e companheiras de fanatismo quase doentio por CM. O episódio foi, é claro, bom. Mas só isso - bom. Me aconteceu o mesmo que quando fiu assistir Harry Potter 7.1 no cinema: na pilhagem da emoção do momento, no meio daquela insanidade toda, achei ótimo, louco pra caramba, just fucking awesome, simplesmente genial, e tudo o mais. Mas quando parei pra pensar e analisar (uns três dias depois de a adrenalina ter deixado a minha corrente sanguínea, diga-se de passagem), foi tipos "epa, não foi bem assim né".


Mesmo não sendo a coisa mais insana da história de Criminal Minds, foi um episódio de nível até bastante alto para essa sexta temporada capenga e decepcionante. Primeiro ponto positivo: GRAÇAS A DEUS aquela monga master da Seaver não apareceu. Jesus, Maria, José e o cavalinho, juro por tudo nesse mundo que jogaria o monitor do computador janela afora se tivesse que aguentar mais 40 minutos dela vendo cadáveres e perguntando: "isso é sangue?!". Quando vi essa cena em "Corazon", senti um comichão incontrolável de gritar: "não, amor, isso aí é raspadinha de morango, sabe? O pessoal de Glee passou aí e resolveu dar um banho disso nos cadáveres só por diversão, tá."


Segundo ponto positivo: a ousadia da produção de entupir um episódio com violência, sexo, dorgas e afins, a la Robert Rodriguez (ou mesmo um Taranbtino em muito menor escala), contrariando todo o "senso de moral" falso, cego e distorcido da população americana. Bom, bem feito, né. Dear Yankees buddies, se vocês não querem ver violência na TV, joguem-na fora.

Terceiro ponto positivo: acho que nunca fiquei tanto tempo encarando uma tela com cara de besta achando todo ser que aparecia no episódio lindo de morrer (principalmente Morgan e Hotch). Ok, estou exagerando, mas deve ter sido porque ainda estava com isso aqui na cabeça. Hayley Williams, minha gente, melhor que ela só Emma Stone cantando Pocketful of Sunshine.

Gostei também daquele tiroteio e, mesmo não dando pra ver quem matou Ray, aposto que foi a Prentiss, afinal não seria nem de longe a primeira vez que ela mata, de longe e a sangue frio um unsub que esteve a dois centímetros de fazer o mesmo com ela (coisa que ocorreu, se não me engano, no 13º episódio da temporada anterior).

A pior coisa do episódio (talvez a única ruim) foi terem deixado o foco em Prentiss apenas para o final. Aquele final foi a exata definição de tenso, o desespero de Emily era tanto que chegava a ser palpável, e, bem, o de quem não seria, sabendo-se que um assassino que você prendeu fugiu da prisão só pra te matar? Não adianta comparar com a "relação" Hotch/Foyet, porque Hotch não teve o tempo nem de piscar depois de prender Geroge e já estava esperando um desastre daqueles.

Uma coisa que eu vi muita gente comentar e questionar foi se Prentiss preferiria se "render" ao sistema de proteção de testemunhas dos US Marshals, ou ficar quieta, na BAU, simplesmente esperando a hora em que Ian Doyle, futuro grande unsub de CM, venha atrás dela para chutar o pau da barraca. Eu, particularmente, acredito mais na 2ª opção. Depois do "desastre Haley", duvido que qualquer membro da BAU esperaria proteção, principalmente Emily, tendo sido a wonderwall de Hotch durante toda aquela confusão. Além de ser, é claro, completamente contraditória com toda a história e caráter da personagem que foi definida até hoje. Ela não é uma Sonserina, é uma Grifinória, oras bolas. Ela não seria a primeira da fila pronta a fugir,. se esconder e salvar a própria pele, como Pansy Parkinson, mas sim aquela a ficar e lutar até que a última gota do sangue do inimigo possa ser derramada para que possa viver em paz, como Hermione Granger (cuja visão no Espelho de Ojesed seria, segundo JK Rowling, esta, a dela com Harry e Ron derrotando Voldemort).

No mais, só espero que esse "mistério lostiano" tenha um fim decente, e que ninguém vá em direção a luz alguma.

Cheers! (e comentem, please :D)

The Longest Night e JJ



Ok, gente, depois de um belo tempinho de castigo (ainda estou), maré alta de notas baixas e uma condicional pra ir ao show do Black Eyed Peas aqui em BH (quem quiser me dar um ingresso terá para sempre minha eterna amizade e gratidão), estou de volta com meus comentários normalmente sempre ácidos e cheios de bom humor, porém bem chorosos com o desastre que essa 6ª temporada parece estar comprando e não dando conta de lidar. Vou falar muito pouco sobre os dois episódios, porque estou praticamente sofrendo ameaças aqui para ir estudar.

O primeiro episódio poderia ter sido simplesmente so fucking awesome I wouldn't even be able to finish that pharse (em inglês porque fica melhor assim). Mas foi só uma conclusão pobre, na minha humilhde opinião de blogueira que deveria estar estudando física
. Tim Curry me dá arrepios de qualquer forma, mas eu acho que exploraram tanto esse lado monstrengo assustador dele que estragaram.

Querido Derek Morgan, eu te amo, você é o chocolate mais gostoso da face da Terra, mas pelamor hein, tú tá irritante de uma forma tão intensa que palavra nenhuma minha consegue expressar. Precisava descarregar o pente todo no Flynn? O Hotch matar o Foyet na porrada até vá lá, né, o cara praticamente pseudo-estuprou ele e matou a ex, mas o Flynn só deu uma coronhada em você, meu filho! Nem a Prentiss, que foi quase morta pelo Dan Schrader (5x11) não descontou a raiva. Só atirou na testa, simples, rápido, eficiente e indolor. Quer dizer, indolor pra ela.

Antes de comentar o 6x02, perguntchinha: Como meus amores saíram
da SUV no engarrafamento? Mágica ou chamaram a Enterprise pra emprestar o teletransporte?

Jennifer Jareau, Oficial de Comunicações da Behavioural Analysis Unit. Nunca gostei de você, pra ser franca. Na verdade, te evitava como o diabo foge da cruz. Mas você ganhou um lugar eterno no meu coração, e não foi porque me fez chorar, porque me fez querer tacar a Nina Tassler da pontinha do Empire State, estilo King Kong, nem porque eu te acho uma fofura e vou sentir falta das suas caras e bocas, mas sim porque me identifiquei com a sua mudança sem possibilidade alguma de escolha.

Nasci em Uberaba, interior de Minas Gerais, e depois de 14 anos muito felizes ao redor da minha família e meus amigos, me mudei para Belo Horizonte, sem po
ssibilidade alguma de escolha, por mais remota que fosse. Mudei, e cá estou, escrevendo para vocês.

Como Garcia, temo muito que só volte a ver meus amigos em aniversários e feriados, e às vezes nem isso. mas é a vida, ela é um porre, é um saco, é cheia de escolhas que você não quer fazer e os outros te empurram para o abismo que você não quer encarar. Mas não se pode parar no tempo, não se pode ignorar as coisas à sua volta. Um dia você envelhece, as pessoas a sua volta morrem, te preterem, te largam. Cedo ou tarde temos que aprender a caminhar com nossos próprios pés, e dói, não só em nós mas em quem sente a nossa falta - porquê, por mais que não acreditemos, sempre haverá alguém lá longe sentindo falta. Às vezes, parece que dava pra se matar de tanto esforço - trabalho, escola, o que seja - , mas no f
im tudo vale a pena, porque sempre haverá alguém como o Hotch, que nunca te substituirá e que deixará aquela porta ali aberta para todo o sempre, para quando quer que seja que você quiser voltar, e quando você puder voltar.

Essa deve ter sido oficialmente a menor e mais pobre review que já escrevi, mas mesmo assim dedico ela à Ísis, Victoria, Laura, Tavim, Douglas, Itamar, Vinicius, Paulinha e todas as pessoas que tornaram os primeiros 15 anos da minha vida os melhores que qualquer pessoa pudesse pedir. E que vocês estejam nos últimos 15.
Eu estou grata pelos anos que passei com esta família. Por tudo que compartilhamos, por todas as chances que tivemos de crescer. Eu vou levar o melhor deles comigo e me guiar por seus exemplos por onde eu for. Uma amiga me disse para ser honesta. Então aí vai. Não é isto que eu quero, mas eu vou pegar o caminho. Talvez seja porque eu olho tudo como uma lição, ou porque eu não queira seguir com raiva. Eu finalmente compreendo que há coisas que não não queremos que aconteçam, mas nós temos que aceitar. Há coisas que não queremos saber mas temos que aprender. E ainda há pessoas que não podemos viver sem, mas temos que deixar partir. JJ

Spoilers da 6ª temporada.

(Contém spoilers, claro.)


Estas são as duas primeiras fotos promocionais da 6ª temporada de Criminal Minds, que, pra quem não sabe, contará com participação reduzida de Paget Brewster e a saída de AJ Cook.
(UPDATE: Pra falar a verdade são não. damn you, Spoiler TV. valeu, Silvinha! :D)

O primeiro episódio ainda não tem nome divulgado, mas o 6x02 já se sabe que será nomeado 'JJ'. Da última vez que isso aconteceu, tivemos o incrível 'Penelope', considerado por alguns fãs o melhor da série (não sou desses, sorry). Caso alguém aí não se lembre, a Garcia levou um tiro de um cara com quem saiu (Will, oi?), quase morreu e ainda por cima conheceu o Kevin.Se acontecer o mesmo com a JJ, pelo menos é de se esperar que ela não morra e que haja a possibilidade de um possível retorno para algum episódio especial, futuramente, estilo Andrea Zuckerman. (esse hiatus tá me fazendo mal)


Já o 6x03 é o que mais me intriga. Chamado 'Compromising Positions' (ou "Posições Comprometedoras" para você, caro leitor cuja profundidade de conhecimentos de inglês eu não faço idéia de como seja), o título, claro, pode significar literalmente qualquer coisa. Qualquer coisa mesmo. Mas, só lembrando-os, Prentiss vai aparecer em cerca de 80% da temporada, com maior participação na 2ª metade da mesma. Então, a menos que os produtores duvidem da nossa capacidade mental, eles devem encontrar alguma coisa pra justificar a ausência dela, e algo me diz que será aí que isso vai acontecer. E, também que pode ter alguma coisa a ver com a saída da JJ.

Joe Mantegna, twitteiro de plantão, aliás, divulgou que Chris Marquette e Michael Welch, ambos ex integrantes do elenco da finada série Joan of Arcadia (da qual o próprio Joe participou) participarão de um episódio da série. Não se sabe ainda se participarão do MESMO ou de episódios distintos, porém, é certeza que o episódio de Welch terá uma audiência bem notável, devido à sua participação na "saga"Crepúsculo como o nem-tão-importante-assim humano Mike Newton, amigo de escola de Bella e o primeiro com quem ela conversa quando chega a Forks.

(04/08/2010) Há também a notícia (já tardia, mas a minhamamória e o PC semi-morto não ajudam) de que Kristen Vangsness irá participar do spin-off. uita gete tentou jogar areia na alegria dela, dizendo que era por causa da série derivada que Paget e AJ fram demitidas. com a magia do meu amado Twitter (que não posso usar para divulgar as atualizações desse post porque a maldição do meu computador está em coma e estou fazendo isso na escola -oiq), ela respondeu aos fãs irados que, se isso tivesse qualquer relação com as demissões, ela não o faria. Mas, se até Melina Kanakanedes (acho que se escreve assim, certo?) deu o pira da CBS, ela não está exatamente em posição de discordar de ordens superiores.

E aí, animados, ou, como eu, ainda querendo jogar a Nina Tassler do último andar do Empire State?

Criminal Minds - rumo ao fundo do poço?


Bom, a essa altura metade do Universo já está sabendo: AJ Cook, a JJ, foi demitida da série, sem mais nem menos, e Paget "Prentiss" Brewster teve sua participação na 6ª temporada reduzida, deixando assim somente Kristen Vangsness para "chefiar" o elenco feminino da série, apesar de sua participação ser apenas de uns cinco minutos por episódio, quando muito.


Todo mundo que lê esse blog percebe o meu ódio por JJ. Falo na lata mesmo. Não gosto da personagem, a acho mais songa que a Sookie Stackhouse, e sinto que a série não mudaria nada sem ela. Bom, isso foi ANTES de eu receber a fadítica notícia da demissão da AJ. Não é que eu seja vira-folha, é só que esse fato simplesmente foi o "empurrãozinho" que eu precisava para perceber que ali todos são fundamentais. Disso eu já sabia, é claro, mas às vezes a gente só precisa de um incentivo para cair na real.

Tem muita gente culpando o spin-off, e eu não fico de fora. É claro que, com um orçamento gigante e Forest Whitaker no elenco, não há mais que fazer além do óbvio - divulgar, e desviar toda a verba para a produção de Suspect Behaviour. Só que os executivos da CBS parecem não ter percebido, ainda, que, para sobreviver, o spin-off precisa de estabilidade na sua "série-mãe". Sem isso, o que vira? A audiência de ambas as séries vai pro limbo, e aí não há remédio; cancelamento.

Bom, falando sério, fazermos campanha para a AJ ficar é caso perdido. Os cretinos da CBS já decidiram, e algo me diz que não vão voltar atrás. Já Paget, bom, foi confirmado, a 6ª temporada será a última dela na série. Obviamente, a CBS parece não ter ciência disso também, mas, tirar Prentiss é o mesmo que jogar todo o progresso e a genialidade da série nessas 5 temporadas do alto de um prédio de trinta andares. Seria o mesmo que, em Cold Case, tivessem REALMENTE matado a Lilly Rush no fim da 4ª temporada (era esse o plano original, sabiam?) e deixado a série na mão do Scotty - que, apesar de ser ótimo, não é Rush.

Então, como não podia deixar de ser, tenho uma idéia. Melhor, uma proposta.

Como todos sabem (espero), Criminal Minds é produzida e gravada pela ABC. É a emissora da "finada" Lost e Grey's Anatomy que acaba com todo o dinheiro do syndication no bolso, deixando só a publicidade e a audiência para as cifras da CBS - outro provável motivo para esse desastre todo. Lost rendia bons frutos financeiramente falando, apesar de não ser lá grandes coisas (coisas nenhumas, pra ser honesta) em questão de audiência. E, como qualquer seriadora atenta, percebi que a ABC está louca e desesperada para obter audiência pós-Lost - já que Grey's Anatomy e Private Practice estão suando MUITO para segurarem a barra.

A minha idéia é a seguinte: façamos campanha para mandar Criminal Minds para a ABC, que nunca conseguiu emplacar uma série policial de qualidade, e que tem um orçamento muito mais seguro que a CBS, que, em contraponto, nunca conseguiu emplacar uma série médica de sucesso. Pode não ser a salvação, mas já é um começo.

"...A Thousand Words"


Depois desse episódio, aposto qualquer coisa que todo fã da série quer um fim de semana 'sin to win' em Atlantic City.


Tem gente dizendo que o último episódio foi melhor. Bom, de certa forma até foi mais consistente. Mas não é esse o brilho de "A Thousand Words". Assim como no último episódio (cuja review que eu ia fazer ficou tão tosca que desisti, as palavras definitivamente não estavam me ajudando naquele dia), o forte aqui foram as interações da equipe. Ou vai falar que você não quis ver o lado pervertida de Prentiss, não adorou o Dave chamando a Garcia de 'Kitten' ou não ficou nem um pouquinho feliz com a JJ ter falhado em barrar completamente a imprensa?

Vamos começar por etapas... Hotch. Gente, ele é lindo, divo, o chefe que toda seriadora queria ter, mas me dói ver que ele AINDA não participa das piadinhas em grupo e interações legais em geral. Estaríamos precisando de mais magia da física do Reid para mudá-lo? Anyway, foi bom ele ter dado aquele canga na JJ no final do episódio. Bem-feito. Deixe ela pensar que filhos de assassinos sádicos não se traumatiza... ¬¬' Bom, nesse caso não se traumatiza mesmo, afinal o pobre bebê nem chegou a ver a carnificina dos pais...

JJ. Bom, vou falar dela porque só umas cinco linhas já bastam e fico livre disso de uma vez. Jennifer Jareau, eu te odeio. Evapore-se, por favor. Teve gente que te elogiou por esse episódio, sim, mas pelamor, né? Minha zica com você chegou ao ponto de eu querer enfiar minha cara num buraco de avestruz toda vez que você aparece na tela. Beijo, não me liga. Por favor, AJ Cook, volte a ser a Mary Lisbon, ok? (nada a ver com The Mentalist, né. ) Tchau.

Reid arrumou um corte de cabelo que me traz lembranças irritantes que, aliás, são irrelevantes e não têm nada a ver com a série, e que não irei mecionar, mas que estou mesmo assim morrendo de vontade de dizer. Ok, deixa pra lá. Lembra aquele episódio da 2ª temporada em que elejogava poker com a JJ e, algumas cenas deletadas depois, com o Morgan...? Então.Desculpe, Baby Genious, mas mesmo tendo crescido em Vegas você não é páreo para a poker face da Prentiss. :D

Morgan... Bom, é Morgan. Nesse episódio nem precisou ser o brucutu de sempre, mas who cares? Eu, ele e o Twitter todo ficamos encucados com o 'sin to win'. E foi de longe a melhor parte do episódio. Faltou só chamar a Garcia de Baby Girl pra ficar pefeito. Shemar Moore, eu te amo. -Q

Sempre achei o Rossi um completo inútil na equipe, um mero estepe para a saída do Gideon - não que Jason me importasse muito, claro. Mas nesse episódio, só por chamar a Penelope de 'kitten", ele superou toda e qualquer expectativa que eu poderia ter. Bem vindo, David Rossi, ao Hall Dos Personagens Preferidos Da Gabriela Spinola.

Penelope Garcia is awesome. Pronto. Economizei palavras e disse tudo.

Prentiss... Bom, se você tem que perguntar, é porque não consegue lidar com a resposta. That's it.

No mais, achei um caso... Peculiar. Um serial killer que tatua o rosto de suas vítimas é bem, hum, aficcionado. E me fiz uma pergunta: se ele tatuou a imagem de seu próprio filho, isso significa que ele pretendia matá-lo? Oh, God. Tantas mentes pervertidas para tão poucos 40 minutos.


"Rite of Passage" - 5x19 - Press Release

A EQUIPE DA BAU TRAÇA O PERFIL DE UM SERIAL KILLER QUE MATA IMIGRANTES TENANDO ENTRAR NOS ESTADOS UNIDOS, EM “CRIMINAL MINDS”, QUARTA-FEIRA, 14 DE ABRIL.

"Rite of Passage" – A equipe da BAU vai ao Texas para rastrear um serial killer que visa imigrantes tentando cruzar seguramente a fronteira dos Estados Unidos, em CRIMINAL MINDS, Quarta-Feira, 14 de Abril (9:00-10:00 PM, ET/PT) na CBS Television Network.


ELENCO REGULAR:
David Rossi...........................Joe Mantegna
Aaron Hotchner....................... Thomas Gibson
Emily Prentiss........................Paget Brewster
Derek Morgan..........................Shemar Moore
Dr. Spencer Reid......................Matthew Gray Gubler
Jennifer Jareau.......................A.J. Cook
Penelope Garcia.......................Kirsten Vangsness


ELENCO CONVIDADO:
Delegado Boyd................................. Mike Doyle
Jose.......................................... Joseph Lucero
Homem........................................... Jaime Alvarez
Xerife Ruiz................................ Marlene Forte
M.E............................................... Lyn Mahler
Omar.......................................... Kurt Caceres
Coyote #1............. Eduardo Ambriz DeColosio
Mãe....................................... Kristen Alaniz
Garotinho............................... Nathaniel Pena
Delegado Gentry............................. Alex Quijano
Delegado Gannon.......................... Casey Nelson
Richard.......................................... Justin Huen
Marion...................... Elena Campbell-Martinez
Técnica de evidências..................... Shannon McClung
Pai..................................... Parvesh Cheena

ESCRITO POR: Victor De Jesus
DIRIGIDO POR: John Gallagher

Leia mais em: http://www.spoilertv.com/search/label/Criminal%20Minds#ixzz0kkTj566b

"Rite Of Passage" - 5x19 - Promo

Uia. Finally, Prentiss is back. =D